sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Formação Escola Ativa









CENTRO MUNICIPAL DE ENSINO RURAL PROF. RAIMUNDO GUERRA - CICLO PEDAGÓGICO 2010
MOMENTOS DE ESTUDOS, REFLEXÕES E VIVÊNCIA

As atividades do ciclo pedagógico 2010 tiveram inicio no dia 18/02/2010 com a reunião administrativa, onde realizou-se reflexão a partir da Poesia “Não Sei”, de Cora Coralina, socialização do quadro de rendimento anual referente a 2009, comparando com dados anteriores e resultados da Provinha Brasil, discussão do calendário escolar e levantamento das necessidades de cada escola para serem encaminhadas à Secretaria de Educação e de Saúde, no caso da dedetização dos prédios para combate aos barbeiros e morcegos.
A seguir houve a participação da Secretária Ildelita Roque, onde a mesma apresentou alguns programas a serem realizados pela SME, prestou esclarecimentos acerca das mudanças no Plano de Cargos e Salários e outros assuntos questionados pelos professores.
Dando prosseguimento, os professores iniciaram a socialização de experiências exitosas desenvolvidas nas escolas, como sugestão para serem retomadas em 2010. As professoras Maria Rute da Silva e Maria das Graças Macedo iniciaram o relato da experiência de intercâmbio entre suas unidades escolares, uma localizada no município de Parelhas e a outra no município de Santana do Seridó. O intercâmbio, com os alunos se correspondendo através de cartas, aconteceu durante todo o ano letivo e segundo relato das professoras contribuiu significativamente para o desenvolvimento da leitura e escrita dos alunos, auto-estima e motivação para aprender, pois nas cartas os mesmos partilhavam suas dificuldades e sucessos, ajudando-se mutuamente. Foram apresentadas várias correspondências e depoimentos dos alunos, proporcionando ao grupo um momento de emoção pelos sentimentos expressados pelas crianças. Ao final do mês de dezembro a Secretaria de Educação promoveu o encontro das crianças das duas escolas, pois as mesmas sempre expressavam o desejo de se conhecerem e trocarem mensagens pessoalmente. A respeito desse momento as professoras relataram as atividades que foram desenvolvidas, todas planejadas pelos comitês de trabalho de ambas as escolas. A experiência despertou o interesse de todo grupo e deverá acontecer em outras escolas durante o ano de 2010.
O grupo manifestou a importância desse momento de socialização de experiências, pois o mesmo favorece a troca de idéias e contribui para o aperfeiçoamento da prática pedagógica quando o fazer de cada um é partilhado, tornando-se referência para todos.
Como forma de organizar as atividades durante a formação e estimular a co-gestão e co-participação, elaborou-se o cartaz de combinados, ressaltando a importância da pontualidade, participação e administração do tempo na realização das atividades. Também foram formados três comitês de trabalho para contribuir com as atividades: Comitê de Comunicação, Comitê de Registro e Avaliação e Comitê de Animação, que se reuniram para elaborar seus respectivos planos de trabalho.
As atividades do dia foram encerradas com um momento de avaliação e mensagem de agradecimento.
O segundo dia do Ciclo Pedagógico, em 19/02/2010, teve início com a acolhida dos professores através do vídeo “Bom Dia” e cartão com mensagem. A seguir houve a participação do Comitê de Comunicação com informes referentes à organização das atividades do dia e divulgação de notícias e fatos em evidência na educação a nível nacional, estadual e municipal. O Comitê de Animação também teve sua participação levando o grupo a cantar e dançar com a música Nordestino Lutador, de Flávio José.
Seguindo com as atividades realizou-se o estudo da temática “Concepções e conceitos em Educação do Campo: interface com um projeto sócio-territorial de vida no campo”, tendo como referência o material apresentado pelo Professor Márcio Azevedo. A discussão foi ampla, com participação intensa do grupo, enfatizando os conceitos de rural e de campo e ressaltando o compromisso da educação em colaborar para que os sujeitos do campo sejam reconhecidos e tenham sua identidade recuperada como trabalhador e trabalhadora deste espaço que não é meramente geográfico, mas caracteriza-se pelas relações sociais nele estabelecidas. O momento de estudo do tema foi finalizado com uma reflexão a partir do poema “A Verdade Dividida”, de Carlos Drummond de Andrade.
Após a reflexão deu-se inicio a divisão dos grupos a partir de uma dinâmica com trechos de uma poesia de Patativa do Assaré. Com os grupos divididos deu-se inicio ao estudo do texto “Política de Educação do Campo: concepções, processos e desafios”, para construção de uma linha de tempo.
Os grupos realizaram a leitura, discussão e construção da linha de tempo, ficando a apresentação para o dia seguinte.
Finalizando as atividades do dia o Comitê de Avaliação e Registro conduziu um momento de avaliação e apresentou o relatório com o registro detalhado de todos os acontecimentos.
Dando continuidade as atividades no dia 20/02/2010, deu-se a acolhida dos professores com slides e mensagem. Os Comitês de Animação e Comunicação demons-trando uma participação ativa e comprometida trouxeram notícias, brincadeiras e piadinhas educativas para animar o momento.
Deu-se início então a apresentação do primeiro grupo com o tema “Educação Rural no Brasil”, oportunizando a discussão de marcos históricos da educação, desde as concepções de educação rural, condicionada a planos inferiores, até as lutas e conquistas em prol da Educação do Campo, ressaltando o papel dos movimentos sociais como protagonistas dessas lutas.
O segundo grupo abordou o tema “Política de Educação do Campo: ampliando os limites da concepção de rural”, situando na história momentos determinantes para a superação da educação rural associada a uma educação atrasada e de pouca qualidade, vislumbrando uma educação pensada pelos e para os povos do campo, conside-rando sua diversidade, sua identidade e sua pluralidade social, econômica, histórica e cultural.
O terceiro grupo enfatizou as questões abordadas pelos demais, só que no con-texto estadual, traçando a linha de tempo com os marcos históricos da “Política de E-ducação do Campo no Rio Grande do Norte: concepções e desafios”.
Após a apresentação, o grande grupo se mobilizou para construir uma única linha de tempo a partir das três que foram elaboradas pelos subgrupos, observando pontos convergentes e divergentes entre as mesmas, ilustrando assim os marcos históricos que impulsionaram as mudanças que se foram processando no sistema educacional brasileiro.
Dando prosseguimento tivemos o estudo do texto “Fundamentos que embasam a proposta pedagógica da Escola Ativa”, com leitura circular e discussão no grupo, sempre fazendo a relação com as Diretrizes Operacionais para a Educação do Campo e com a realidade das escolas.
Como forma de enriquecer as discussões foram apresentados os slides “Educação do Campo”, logo após o Comitê de Avaliação e Registro apresentou seu relato de vivências e conduziu a avaliação das atividades do dia, que foram encerradas com a reflexão “Oração do Matuto”.
No quarto dia de formação, em 22/02/2010, as atividades tiveram início com acolhida dos professores através de dinâmica, cartão com mensagem e reflexão a partir dos slides “Mãe tartaruga e filho hipopótamo”, este já introduzindo a temática da diversidade a ser discutida. Em seguida os Comitês de Comunicação e Animação participaram divulgando as novidades e conduzindo um momento de entretenimento com música coreografada e histórias engraçadas.
Dando continuidade foi apresentado o vídeo de sensibilização “Ciganos”, o qual proporcionou o deslumbre do grupo com a beleza e riqueza da cultura cigana, bem como a discussão acerca dos mitos e preconceitos que a envolvem. O grupo buscou situar a presença cigana na história local, resgatando histórias e vivências pessoais. Também foi socializado o material disponibilizado pela antropóloga Jussara Galhardo e Gorete Nunes, do Grupo Paraupaba, onde as mesmas apresentam a situação das comunidades indígenas existentes no estado, como vivem, suas dificuldades e desafios em preservar sua cultura. O grupo manifestou o interesse em aprofundar o estudo a respeito da questão indígena no RN, visto que esta temática praticamente não é abordada nos livros didáticos, principalmente quando se trata da situação dessas comunidades nos dias atuais.
A valorização da diversidade é trabalho para todo dia e necessita de materiais e metodologia adequados. Para que as crianças aprendam a lidar com as diferenças com sensibilidade e equilíbrio é preciso que tenham familiaridade com a diversidade, porém o que geralmente acontece é um trabalho esporádico, em projetos com duração definida ou em datas comemorativas. Essas e outras questões foram discutidas pelos professores a partir do texto “Diversidade sempre”, que foi lido e debatido no grupo.
Prosseguindo com a discussão em torno da temática da diversidade, deu-se a leitura circular comentada do texto “Novas perspectivas: A representação do negro na literatura brasileira” e apresentação de algumas obras literárias que podem contribuir de forma significativa para que as crianças possam ser despertadas para o mundo da leitura e da escrita vendo as diferenças de raça, história e cultura de forma positiva, estimulando-as a respeitar e valorizar essas diversidades. Os professores apreciaram a discussão e as sugestões de obras, sugerindo que algumas sejam selecionadas para serem trabalhadas em forma de oficinas em outro encontro, aprofundando assim o trabalho com as mesmas, ficando agendada para o próximo microcentro uma oficina a partir do livro “Menina bonita de laço de fita”, de Ana Maria Machado.
Finalizando as atividades o Comitê de Avaliação e Registro conduziu a avaliação e apresentou o relato elaborado no decorrer do dia.
O último dia da formação de 40h realizou-se em 23/02/2010, iniciando-se com acolhida, mensagem inicial e participação dos Comitês de Animação e Comunicação. A seguir a supervisora do Centro de Ensino Rural, Rúbia Kátia, coordenou a oficina “Construindo registros e relatos”, onde os professores puderam construir uma carta íntima, uma minibiografia, vivenciar a descoberta da personalidade e discutir a importância do registro no cotidiano da escola. Enfatizou-se os elementos e instrumentos da estratégia Escola Ativa que favorecem este aprendizado, tanto os de uso individual quanto os construídos coletivamente. A supervisora ainda orientou os professores quanto ao registro dos avanços e dificuldades dos alunos, esclarecendo dúvidas e enfocando pontos observados nos relatos feitos pelos mesmos na ficha individual do aluno e nos diários de classe.
Após esta vivência partiu-se para a organização referente ao início do ano letivo, com elaboração de cronograma de encontros com pais e comunidade de forma que a equipe da Secretaria de Educação pudesse participar de todas, partindo-se então para o planejamento dos primeiros 15 dias de aula. Foram pensadas atividades para recepcionar as crianças, acolhendo-as com alegria e favorecendo o entrosamento e a socialização, principalmente dos alunos novatos que vivem sua primeira experiência na escola. Também priorizou-se o trabalho com atividades lúdicas, a folha de freqüência, o cartaz de combinados, a caixa de sugestões, a reestruturação dos comitês e seus respectivos planos de trabalho nas escolas onde os mesmos já estão implantados e o início do processo de sensibilização para formação dos mesmos nas escolas que ainda não os tem. Os primeiros dias também são destinados ao diagnóstico, com visitas onde é possível e utilização da ficha familiar.
Entendendo-se que avaliar é indispensável em qualquer atividade, mediante conclusão do ciclo pedagógico, o Comitê de Avaliação Registro aplicou dinâmica possibilitando que os participantes apontassem os pontos positivos e negativos da formação. O grupo foi unânime em reconhecer a relevância da temática discutida, explicitando que a metodologia aplicada foi satisfatória, pois favoreceu o entendimento e proporcionou participação de todos. O tempo foi bem aproveitado e a pauta foi vencida conforme planejado, os comitês atuaram com responsabilidade e compromisso e o grupo cumpriu com os combinados. Como negativo foi citado o espaço, sugerindo-se que o próximo encontro se realize em local mais amplo e arejado.
Após a avaliação e leitura do registro realizado pelo comitê, as atividades foram encerradas com um momento de confraternização.

1 Comentários:

Blogger tatiane disse...

sou professora e trabalho com escola ativa, gostaria de receber uma musiquinha de acolhida pois estou tendo dificuldade na composição da mesma.

26 de março de 2011 18:49  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início